quarta-feira, 29 de maio de 2013

O ESTRESSE E AS DORES DE DENTES

O Estresse e as Dores de dentes

       Pela nossa observação, atendendo inúmeros pacientes de várias nacionalidades, concluímos que as pessoas somatizam mais diante de certas situações como: doenças na família, problemas de relacionamento, promoções no trabalho, vésperas de noivado ou casamento, dia de aniversário, épocas de festas como Natal e Páscoa ou mesmo durante as férias.
Porém, o que causa a psicossomatização não é o acontecimento em si, mas sim a consciência que ele traz para a pessoa e ela rejeita. Na verdade, adoecemos não por temos problemas , mas sim porque nós recusamos  ver nossos problemas (devido à censura). De qualquer forma, a consciência é sempre um bem e quando a rejeitamos, não querendo ver os nossos erros ou recusando o que há de bom, belo e verdadeiro (afeto, verdade, beleza, felicidade, sucesso etc), podemos adoecer fisicamente ou nos acidentar.
        A conscientização é o único caminho para a cura porque a consciência tem, em si mesma, um poder energético de cura fantástico. Ela atinge uma “farmácia” interior e, por isso é capaz de restabelecer a saúde.


Relato de Casos Clínicos

1 – A.M.S., sexo feminino, 14 anos de idade
Passou a noite com dor num dente que necessitava de tratamento de canal há meses atrás, mas que nunca havia doído antes. Essa paciente teve que tomar uma anestesia para alívio imediato da dor que sentia e o tratamento de canal teve que ser iniciado. Após o atendimento dentário, expliquei-lhe que geralmente uma dor que aparece de repente é devido a algum problema emocional. Ela relatou que, na véspera dessa dor surgir, ficou muito nervosa com a morte do seu animalzinho de estimação.

2 – W.S., sexo feminino, 38 anos de idade.
Extraiu um dente no Brasil e um mês depois ela chegou em Nova York e logo começou a sentir dores intensas na região da extração. A região da extração inflamou-se devido ao estresse de W.S., que estava à procura de um emprego em Nova York.

3 – V.C., sexo masculino, 41 anos de idade.
Começou a sentir dor intensa num dente, ao se deitar. Isso ocorreu logo após que ele  teve uma mudança de cargo no trabalho: foi promovido para um cargo superior que requisitava maior responsabilidade.

4 – R.M., sexo feminino, 42 anos de idade
Tinha um dente com tratamento de canal já feito. Nesse dente, surgiu uma inflamação em volta da raiz – não cedeu e formou pus. Tive que refazer o tratamento de canal e indiquei tomar antibiótico (devido à infecção).
R.M. relatou que estava mudando para uma casa bem melhor e o marido dela estava ganhando melhor e muito feliz com a mudança. RM deve ter adoecido porque o marido dela estava bem feliz, mas  ela não aguentou essa felicidade.

5 – C.L., sexo feminino, 28 anos de idade.
Tinha um dente com tratamento de canal já feito – Apresentou uma inflamação em volta da raiz deste dente de repente,  de um dia para o outro. Ela morava em Nova York e estava voltando para o Brasil para se casar em poucos dias.

6 – M.E., sexo masculino, 38 anos de idade.
Apresentou inchaço no rosto (sem infecção, ou seja, sem formação de pus) quando ficou desempregado. Ele estava muito tenso porque tinha compromissos financeiros e precisava arrumar logo outro emprego.

Um comentário:

  1. Estive no dentista recentemente. Tratei 2 caries e fiz limpeza. Certa tarde comecei a sentir fortes dores em um dente aparentemente saudável e tive que tomar uma dose grande de analgésico para conseguir dormir a noite. No dia seguinte fui ao dentista o qual descobriu uma inflamação e um tratamento de canal. Tenho certeza que isso foi resultado de um período difícil pra mim, o rompimento com alguém que gosto muito. Como se ja nao bastasse a dor emocional...

    ResponderExcluir